Análise de Falhas
30 de outubro de 2017
19/11- Dia do Empreendedorismo Feminino
19 de novembro de 2017
Exibir tudo

Case Análise de Causa de Desgaste

Foi publicado anteriormente no BLOG da EME a importância da análise de falhas em produtos, e qual é o papel do Engenheiro de Materiais nesse trabalho. Confira agora um case solucionado pela Eme Jr. sobre análise de falhas.

DESAFIO: Uma empresa que produz máquinas de corte de grama em escala industrial, relatou um problema de desgaste atípico das pastilhas no momento da usinagem. Primeiramente as peças voltaram para a fundição e sofreram um processo de recozimento, tal processo, entretanto, não surtiu o efeito esperado e o problema persistiu. A empresa responsável pela fundição relatou que a dureza do metal estava de acordo e que não houve anomalias no processo. O desafio foi então, descobrir a causa do problema de desgaste já que a empresa tinha total confiança na empresa contratada para fundição e que a dureza estava de acordo com as normas referentes do aço.

SOLUÇÃO: Foram realizadas duas diferentes análises na amostra do material: análise metalográfica e, posteriormente, análise química, cujo objetivo era averiguar as possíveis causas de desgaste excessivo das pastilhas durante a usinagem. Através das análises realizadas nos laboratórios da UFRGS, ficou evidente que a amostra vem de um processo característico de fundição, sem uma estrutura orientada.

RESULTADO: Comparando os resultados obtidos nas amostras, com a tabela segundo as normas ABNT/SAE referente ao aço com a composição química, foi possível observar que a amostra continha elementos que não deveria conter, e também continha percentuais de alguns elementos muito acima do que era esperado para aquele tipo de aço. Concluiu-se então, que o fator que estava causando o desgaste das pastilhas durante o processo de usinagem era a presença de um determinado elemento na composição química, que não deveria estar presente. Tal elemento proporciona um aumento considerável na dureza do aço, alterando sua composição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *